Alugar um imóvel pode ser uma boa opção para quem faz questão de morar perto do trabalho, mas quer poder mudar de casa quando trocar de emprego, por exemplo. Também é legal quando se está na dúvida sobre ficar definitivamente em determinado bairro e precisa antes ter uma experiência.

Leia mais:
Seguro fiança é alternativa para quem não tem fiador
Falta de pagamento é motivo para ação de despejo
Dicas de como analisar a vizinhança do seu futuro imóvel

Mas uma simples locação de moradia pode se tornar algo complexo. Por isso, saber por onde começar, como proceder nas demais etapas e esclarecer dúvidas facilita o processo.

A primeira coisa antes de fechar o negócio é fazer algumas visitas, para reconhecer o local, olhar detalhes e também fazer um reconhecimento da vizinhança. Depois de conhecer a propriedade é hora de checar todas as condições financeiras.

“É fundamental que se saiba quanto vai ser gasto com o aluguel do imóvel, condomínio, IPTU, gás, seguro incêndio, quais são as despesas que terá e se elas cabem no bolso, para que não tenha sustos”, diz a diretora comercial da Lello Imóveis, Roseli Hernandes.

Para fechar o negócio

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Com tudo resolvido, chega então a hora do contrato, fase de entregar os documentos necessários, como RG, CPF, comprovante de residência e de renda, entre outros. Aqui, é importante determinar bem as condições contratuais além de definir as garantias do contrato, como fiador, caução, seguro fiança e outros.

Depois de fechar o acordo, é só assinar e pegar as chaves. Mas não pense que acabou. “É preciso combinar com o condomínio para fazer a mudança e verificar questões relativas à água, luz e gás. Melhor evitar surpresas.”

Garantias de aluguel de imóvel

São comuns pelo menos três tipos garantias de contrato de locação de um imóvel. O fiador é o mais usado. Caso o contrato não seja cumprido é ele quem será cobrado. Para conseguir fazer a fiança ele deve ter uma renda compatível a pelo menos três vezes o valor do aluguel e ter casa própria. “Há a possibilidade de ter mais de um fiador caso a renda de um só não seja suficiente”, fala Roseli Hernandes.

Outra maneira muito utilizada é o caução, um depósito de três vezes o valor da locação feito na conta do proprietário. Caso não haja algum tipo de problema, como deterioração do bem e prejuízos causados pela pessoa que locou a casa ou apartamento, ou inadimplência, no final do contrato o valor é devolvido. Por último, o seguro fiança, que funciona como um seguro de veículo. Inclui também coberturas como pinturas, danos ao imóvel, condomínio e IPTU (esses últimos, em caso de inadimplência). O valor do seguro fiança é baseado no preço do aluguel do imóvel e pode ser parcelado.