Aluguel

Incorporadoras montam primeiro grande negócio de locação residencial no Rio

O plano de negócios prevê apartamentos de um a dois quartos, com aluguéis na faixa de R$ 3 mil a R$ 4 mil

Por: Circe Bonatelli, O Estado de S. Paulo 03/11/2022 2 minutos de leitura
rio-de-janeiro-predios-residenciais
Os projetos passam pela construção de novos prédios e pelo retrofit de hotéis e imóveis comerciais nas áreas centrais/ Crédito: Getty Images

Publicidade

As incorporadoras Patrimar e Performance firmaram um memorando de entendimento para investir, conjuntamente, R$ 350 milhões a R$ 400 milhões na criação de uma empresa de prédios para locação residencial no Rio de Janeiro.

Os aportes serão realizados nos próximos seis anos e preveem chegar a um portfólio com cerca de 5 mil apartamentos sob gestão. Será a primeira grande operação do tipo no Rio, diferentemente de São Paulo, onde já existem vários pesos-pesados em expansão no segmento – como Brookfield, MRV, Cyrela, JFL, ULiving, entre outros.

Projetos miram áreas centrais da capital fluminense

O plano de negócios prevê apartamentos de um a dois quartos, com aluguéis na faixa de R$ 3 mil a R$ 4 mil. Os projetos passam pela construção de novos prédios e pelo retrofit de hotéis e imóveis comerciais nas áreas centrais. Os primeiros negócios serão nas zonas oeste e sul da capital fluminense. Mais adiante, há planos de chegar também a Belo Horizonte e São Paulo. Para isso serão criadas duas empresas: a Viv In, de prospecção e desenvolvimento imobiliário; e a Livizi, para o serviço de aluguel e administração, podendo, até mesmo, vir a atender terceiros no futuro.

A mineira Patrimar, da família Veiga, vem em fase de crescimento e diversificação dos negócios. Ano passado, o grupo anunciou um ousado plano de investimentos de R$ 7 bilhões até 2024 que prevê a compra de terrenos e a construção de residenciais em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo – as praças onde já está presente.

Publicidade

Aliás, a Patrimar é uma das incorporadoras que entraram na fila para uma oferta inicial de ações (IPO), mas acabou postergando em meio às turbulências do mercado e ao excesso de empresas de construção que disputavam a atenção de investidores. A governança corporativa de uma empresa de Bolsa foi mantida.

Empresas estão de olho em novas tendências de consumo

O presidente da Patrimar, Alex Veiga, disse à Coluna que viu no segmento de locação residencial a oportunidade de aproximar os seus projetos imobiliários das novas tendências de consumo. Há um reconhecimento de que as novas gerações prezam mais pela flexibilidade de ir e vir em vez de imobilizar o capital na aquisição da casa própria.

“É notória a mudança de hábitos e desejos da turma mais jovem. Há menos raízes e mais sensação de bem-viver”, observou.

A parceira na jornada é a Performance, incorporadora conhecedora do Rio, onde atua há 20 anos principalmente com residenciais e hotelaria. No comando da empresa estão o fundador e presidente, Luís Oswaldo Leite, e o diretor operacional, Renato Clark Leite.

Publicidade

Este texto foi publicado antes em:
https://economia.estadao.com.br/blogs/coluna-do-broad/incorporadoras-montam-primeiro-grande-negocio-de/

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Ocupação de escritórios em São Paulo aumenta 39,4% em um ano

2 minutos de leitura
Imagem destacada

É necessário declarar consórcio de imóvel no Imposto de Renda em 2023?

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Com parcerias, Wiz alcança R$ 180 mi em crédito com garantia de imóvel

1 minuto de leitura
Imagem destacada

Condomínios mantêm rotina de funcionários durante quarentena

2 minutos de leitura