Para que um lar seja seguro para as crianças sem inibir o seu desenvolvimento, é preciso pensar com muito esmero em cada detalhe. Os pequenos costumam ser muito curiosos e não têm noção do perigo. Por isso, preparamos com a ajuda da arquiteta Marianna Fujii, do escritório de arquitetura Em Canto Meu, algumas dicas sobre como manter os menores seguros em casa e, mais do que isso, como tornar os espaços físicos catalisadores do desenvolvimento infantil.

Já sabemos que alguns cuidados fundamentais devem ser tomados em casa para evitar acidentes domésticos com as crianças, como por exemplo, proteger as tomadas com protetores específicos, evitar mobília com rodinhas, proteger escadas e janelas com redes e grades.

No entanto, segundo a arquiteta, a segurança dos pequenos vai além de simplesmente evitar acidentes. No que diz respeito ao projeto arquitetônico, é importante proteger as crianças sem impedir que elas desfrutem do espaço. Para isso, princípios pedagógicos, como por exemplo, os desenvolvidos por Maria Montessori, comumente adotados em escolas, têm sido traduzidos arquitetonicamente em casas, principalmente em quartos infantis.

“O Método Montessori tem como fundamento a independência da criança em relação ao adulto, sem inibir seus movimentos espontâneos. Para isso é necessário um ambiente preparado e seguro que permita o desenvolvimento infantil”, explica Marianna.

Cozinha

Em relação aos cuidados na cozinha, não deixe as crianças sozinhas cozinhando, elas podem se machucar com utensílios pontiagudos e cortantes ou se queimar com o fogão. Coloque os utensílios cortantes em armários altos, mantenha os cabos das panelas para dentro fogão, evitando assim esbarrões acidentais. Além desses cuidados, a criação de bancada ou mesa acessível às crianças é uma forma de incluí-las em atividades da cozinha de maneira segura, como por exemplo, mexer a massa de bolo.

Sala

Em relação aos cuidados na sala, lembre-se de proteger fios e tomadas com protetores específicos. Evite mobília com rodinhas e posicione sofás, cadeiras e móveis baixos longe de janelas. As plantas ornamentais venenosas e pontiagudas também devem ser evitadas, bem como as cortinas com puxadores – a criança pode acabar se enrolando por ali acidentalmente.

Banheiros

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.
Nos banheiros, guarde medicamentos, cosméticos e produtos de limpeza em armários altos, em que a criança não possa alcançá-los. Mantenha o piso do banheiro sempre seco e coloque tapetes antiderrapantes em áreas que ficam frequentemente molhadas. Privadas e pias compatíveis com a altura da criança ajudam a evitar acidentes e tornam o ambiente mais acessível a elas. Caso não seja possível, utilize suportes para reduzir o tamanho do assento.

Quartos infantis

Proteja as janelas com telas ou grades nos quartos dos pequenos. Evite móveis baixos, cadeiras, sofás e camas próximas às janelas, evite beliches em quartos de crianças menores de seis anos ou, caso não seja possível, coloque travas para as crianças não caírem.

“Os quartos Montessorianos apresentam soluções arquitetônicas que combinam segurança e liberdade de movimento das crianças. Neles, as camas são normalmente baixas, os móveis e mobília projetados para a altura da criança, dispostos ao redor do quarto (com exceção da região próxima à janela), com um espaço livre central e diferentes texturas, contribuindo assim para o aprendizado infantil”, esclarece a profssional.

Quarto dos adultos

Da mesma forma que nos quartos infantis, proteja as janelas com grades ou telas, evite sofás, cadeiras e camas próximas às janelas e posicione os aparelhos eletrônicos em móveis estáveis.

Jardim, quintal e lavanderia

Na lavanderia e quintal, evite colocar produtos de limpeza em embalagens de refrigerante e de alimentos. Além disso, mantenha produtos de limpeza, sacos e sacolas plásticas fora do alcance das crianças. Não deixe água em baldes e em tanques, pois as crianças podem se afogar.

Se no imóvel tiver piscina, cerque-a e cubra-a com lona plástica. No caso de plantas, livre-se das venenosas ou posicione-as em locais altos. O ideal é criar um pequeno canteiro, no qual a criança possa plantar sementinhas de feijão e milho, por exemplo, para que ela possa aprender sobre o desenvolvimento das plantas.

Outros cuidados

Na hora de escolher os móveis, priorize os que tenham bordas e quinas arredondadas. Caso não seja possível, proteja-os com protetores de quinas. Evite pisos escorregadios e utilize tapetes antiderrapantes. É preciso também sinalizar as portas de vidro com faixas na altura do olhar da criança e coloque grades nas escadas.