Loteamento Urbano

Vai construir em terreno pequeno? Veja como aproveitar melhor o espaço

Verticalização, móveis planejados e ambientes integrados estão entre as sugestões de arquitetos e engenheiros

Por: Guilherme Santiago, O Estado de S.Paulo 17/05/2023 6 minutos de leitura
A verticalização costuma ser a principal aposta de engenheiros e arquitetos, sobretudo para casas com vários moradores/ Crédito: Getty Images

Publicidade

Ao passo que as cidades crescem, casas e terrenos ficam menores – especialmente em regiões próximas a grandes centros urbanos. É nesse contexto que aparece a principal dúvida de quem vai construir um imóvel do zero: como aproveitar melhor um lote pequeno? Especialistas garantem que limitação de espaço não impede a construção de uma casa otimizada, confortável e funcional. Basta a adoção de algumas estratégias.

A verticalização costuma ser a principal aposta de engenheiros e arquitetos, sobretudo para casas com vários moradores, já que ela permite dobrar ou triplicar o espaço disponível.

Nas construções com dois ou mais andares, o térreo costuma ser dedicado aos ambientes sociais da casa, como a cozinha e as salas de estar e jantar. Áreas privativas, como os dormitórios, ficam no segundo andar. E é possível ainda aproveitar um terceiro pavimento para a instalação de terraço com espaço gourmet, por exemplo.

Entretanto, como lembra o engenheiro civil Jonas Moital, há ressalvas quanto a essa estratégia. “A verticalização é a melhor forma de otimizar o espaço porque você ganha área construída, mas um dia a casa pode deixar de ser funcional”, observa. “É necessário pensar na moradia a longo prazo. Em certas fases da vida, a acessibilidade torna-se um ponto fundamental. E, aí, imóveis com mais de um pavimento passam a ser um problema no dia a dia.”

Publicidade

Por isso, para aqueles que optarem por projetos desse tipo, Moital recomenda a construção de um quarto no primeiro andar ou até a colocação de um elevador. “Temos tecnologia que permite a instalação desses equipamentos a baixo custo e sem grandes infraestruturas.”

APOSTE EM AMBIENTES INTEGRADOS

É possível aproveitar bem o terreno sem, necessariamente, verticalizar a obra, como foi feito na casa da empresária Ana Maria Santana, de 63 anos, num condomínio em Jundiaí, no interior de São Paulo, há pouco mais de três anos.

“Como ela mora sozinha, a solicitação era uma casa térrea e funcional”, conta Simone Colli, arquiteta responsável pelo projeto. A estratégia, então, foi pensar nos ambientes sociais de forma bastante integrada. “Construímos as salas de estar e jantar juntas, assim como a cozinha e o espaço gourmet – que são integrados, mas têm uma porta de correr de vidro para, eventualmente, separar os dois ambientes”, explica.

Por não haver barreiras físicas que dividem esses cômodos, tudo parece mais amplo. Mas os benefícios vão além da amplitude: a circulação é facilitada; a presença de luz natural aumenta; a ventilação é melhor; e até mesmo a convivência entre as pessoas fica favorecida.

Publicidade

Para Ana Maria, o resultado atende perfeitamente às suas necessidades. “Tem todo o conforto de que preciso; é tudo o que eu queria em uma casa. E o projeto ficou a minha cara.”

USE A ÁREA EXTERNA A SEU FAVOR

A parte ao ar livre da casa pode ser uma grande aliada de quem quer utilizar bem todo o terreno e não abre mão de uma área de lazer, por exemplo.

Existem regras e leis definidas por condomínios e prefeituras que determinam um afastamento mínimo – que pode chegar a até três metros – entre o imóvel construído e as laterais e os fundos do terreno. O que poderia ser algo frustrante é, na verdade, uma oportunidade, na avaliação de Laís Hadlich, arquiteta e urbanista cofundadora do Baya Arquitetos.

Segundo ela, nessas áreas – chamadas de recuo – é possível implantar o jardim da casa; construir uma área de lazer ou uma lavanderia; instalar um corredor de passagem para os fundos do imóvel com pisadores de madeira ou cimento; criar uma área gourmet com churrasqueira; ou até reservar um espaço para colocar uma pequena piscina ou ofurô. “São muitas ideias de utilização desses espaços para que não seja uma área perdida ou não utilizada”, ressalta Laís.

Publicidade

A recomendação é optar por aquilo que faz mais sentido para o morador. Se for alguém que prioriza receber amigos e familiares, o mais indicado é investir na construção de uma área gourmet. Caso a prioridade seja o paisagismo, um jardim vertical é a melhor opção.

INVISTA EM MÓVEIS PLANEJADOS

Para o engenheiro Jonas Moital, usar o mobiliário a seu favor é imprescindível nas casas que ocupam lotes pequenos. “Não tem como ter uma casa compacta e funcional sem uma marcenaria inteligente”, afirma. Uma das sugestões é criar armários que vão até o teto, pois possibilitam mais armazenamento de objetos sem comprometer as áreas de circulação. Prateleiras e nichos nas paredes também são boas opções para otimização de espaço. Em certos casos, uma boa saída é apostar em móveis multifuncionais, como uma estante que funciona como mesa de escritório, ou dobráveis, que diminuem de tamanho quando não estão sendo utilizados.

Você também pode aproveitar os móveis planejados para ocupar espaços improváveis, como a parte de baixo de uma escada – que pode ser destinada à instalação de prateleiras com livros ou de um escritório.

ABUSE DE JANELAS E VIDROS

Casas com limitação de espaço pedem muitas janelas. Além de ajudar na iluminação natural dos ambientes, o que é fundamental para aumentar a sensação de amplitude, elas melhoram a circulação de ar e tornam o ambiente mais agradável.

Publicidade

A arquiteta Laís Hadlich também recomenda o uso de vidro no lugar de portas de madeira separando certos cômodos – por exemplo, entre a cozinha e a lavanderia ou entre as salas de estar e jantar. “O resultado é a ampliação visual do ambiente. E ainda tem a vantagem de ser uma opção mais barata que o fechamento com alvenaria”, afirma.

FAÇA SUBSTITUIÇÕES SIMPLES

Trocar portas convencionais – incluindo as de armários, guarda-roupas e de acesso aos cômodos – por portas de correr é outro jeito de ganhar espaço. E algumas substituições de eletrodomésticos ajudam: você pode optar por aparelhos multifuncionais, como fornos que também são micro-ondas e máquinas que são lavadoras e secadoras. Ter eletrodomésticos embutidos melhora ainda mais a circulação. No entanto, é importante que sejam equipamentos específicos para essa finalidade e que os nichos onde serão instalados tenham ventilação adequada para o correto funcionamento deles, sem riscos.

E, por fim, tente evitar o famoso “quarto da bagunça” – onde é comum armazenar aquilo que não é usado com tanta frequência. Para quem puder e quiser investir, há opções de depósitos por aluguel cujas dimensões costumam variar de 1 a 18 metros quadrados.

TENTE ALGUNS TRUQUES VISUAIS

Optar por revestimentos de móveis, pisos e paredes em cores claras; instalar espelhos em portas e paredes; preferir lâmpadas brancas e LEDs frios. Essas são algumas opções que, ainda que não aumentem o espaço físico e a circulação, dão a impressão de que a casa é maior.

Publicidade

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Quando o assunto é imóvel, o virtual não substitui o real

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Sem ar condicionado? 5 dicas para aliviar o calor em casa nos dias quentes

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Conheça as 10 melhores cidades brasileiras para morar

6 minutos de leitura
Imagem destacada

5 dicas para não perder tempo na obra

2 minutos de leitura