Capa Principal

Guia de Bairros

Vila Carrão

A pequena Liberdade da zona leste paulistana

A Vila Carrão, na zona leste de São Paulo, é um bairro predominantemente residencial. Ganhou este nome em homenagem ao advogado paranaense João da Silva Carrão, o Conselheiro Carrão, que entre agosto e março de 1866, nos tempos do Império, foi presidente da província paulista

Mas a história da região tem início em um antigo sítio que ficava à beira de uma trilha muito usada por indígenas não convertidos ao catolicismo, chamados pelos jesuítas de gentios. Tempos depois, esse caminho que ligava a Aldeia de Piratininga, no Centro, as de Biacica ou Imbiacica começou a ser trilhada por Bandeirantes em direção a região de Mogi das Cruzes.  

Entre a Colônia e o Império, as terras da então “Sesmaria de João Ramalho”, célebre explorador português que ganhou fama por ser o elo entre povos originários e europeus, trocaram de donos muitas vezes. O sítio “Bom Retiro”, também conhecido como “Chácara Carrão”, deu origem aos bairros hoje conhecidos Vila Carrão, Vila Nova Manchester, Vila Santa Isabel e Jardim Têxtil.

Nos dias atuais, a Vila Carrão ficou conhecida pela forte presença da comunidade japonesa, especialmente de imigrantes da Ilha de Okinawa. Retrato de uma cidade multicultural e multiétnica, o bairro tornou-se uma espécie de mini-Liberdade da zona leste paulistana. 

Mobilidade

Curiosamente, a estação Carrão Assaí Atacadista da Linha 3-Vermelha fica no bairro vizinho do Tatuapé. Para chegar à região da Vila Carrão, a melhor forma é de ônibus, com ponto final no Terminal Vila Carrão, que recebe coletivos vindos do Centro, estações do Metrô como Belém, Tatuapé, Conceição e Dom Pedro e de outras localidades das zonas norte e leste, como Jardim Centenário, Vila Dalila, Guaianases e Jaçanã. A região aguarda a chegada de duas novas estações da Linha 2 Verde do Metrô: Guilherme Giorgi e Santa Isabel. A previsão é que sejam entregues até maio de 2026. Quando concluído, o ramal ligará a Vila Prudente à Penha. 

Educação

O distrito conta com algumas instituições de ensino superior, como a Faculdade Innovare. Há também vários pólos de Ensino EAD de universidades como São Judas, FMU, Estácio, Unicesumar e Cruzeiro do Sul.

Há boa oferta de escolas privadas, exemplo do Colégio Nossa Senhora do Sagrado Coração, Instituto de Educação Rainha Santa Isabel; e  colégios públicos de ensino médio e fundamental, como Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI),  Professor Alberto Mesquita de Camargo, Escola Estadual Professora Irene de Lima Paiva, entre outras.

Saúde

O bairro não dispõe de um grande hospital público ou privado. A grande novidade para a saúde da região foi a inauguração, em agosto de 2022, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Vereador Masataka Ota. Com investimento de R$ 14 milhões, a nova UPA tem capacidade para realizar aproximadamente 15 mil atendimentos por mês e conta com 11 consultórios médicos, 7 leitos de emergência, 14 de observação adulto, 4 leitos de observação infantil e dois de observação em isolamento. Também há duas salas de avaliação de risco, sala de raio-X, gesso, medicação, sala para coleta de exames, para assistência social e consultório odontológico.

A unidade vai concentrar os atendimentos de saúde de complexidade intermediária, compondo uma rede organizada em conjunto com a Atenção Básica, Atenção Hospitalar, Atenção Domiciliar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que tem uma base no local e duas ambulâncias.

Até a inauguração da nova UPA, o principal serviço de saúde do bairro era a operação Integrada Atendimento Médico Ambulatorial (AMA)/Unidade Básica de Saúde (UBS). A iniciativa da Prefeitura promove a unificação dos dois sistemas de saúde e oferece salas de procedimentos e vacinas; equipe médica e de enfermagem e demais profissionais integrados. Conta também com vacinação e equipamentos para a realização de exames de urgência. A AMA/UBS da Vila Carrão atende de segunda a sábado das 07h às 19h.

A Vila Carrão tem uma das 12 unidades municipais do Centro de Integração de Educação e Saúde (Cies). O projeto é uma parceria da Prefeitura com a Associação Beneficente Ebenezer – Cies Global. O Hospital Dia do bairro está equipado para realizar cirurgias de catarata e vasectomia, consultas com urologistas e oftalmologistas e realizar exames de ultrassonografia, doppler e estudo urodinâmico. O atendimento é gratuito e subsidiado pela Prefeitura e SUS. 

Para quem dispõe de seguro saúde privado e necessita de atendimento hospitalar, as opções são os Complexos dos bairros vizinhos, como Hospital Sagrada Família, Hospital e Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco. 

Lazer

O bairro está nas proximidades de dois grandes parques. O primeiro e mais próximo é o Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador, o famoso Ceret. Seus 286 mil m² oferecem atividades diversas. O Parque conta com pistas de atletismo, piscinas, campos de futebol, quadra de basquete, vôlei, futsal, tênis e até de rugby.

Bem maior e um pouco mais distante, o Parque do Carmo conta com mais de 1,5 milhão de m². Para reforçar os laços com a colônia japonesa da região, o espaço recebe anualmente a poética Festa das Cerejeiras, período no qual as árvores típicas daquele país florescem. Inaugurada em 1976, a área das cerejeiras tem lagos naturais e diversas espécies de animais. No Parque do Carmo está instalado o Monumento à Imigração Japonesa. 

Assinada pelo artista japonês japonês Kota Kinutani, a escultura é formada por sete pedras de granito, sendo uma vermelha ao centro, que simboliza o sol, e seis brancas ao redor, representando os seis continentes do planeta. A obra pesa quase 200 toneladas e foi inaugurada em 2008 pelo príncipe herdeiro do Japão, Naruhito. O monarca visitou São Paulo para as comemorações do Centenário da Imigração Japonesa ao Brasil. 

Em 2021, o Parque ganhou também um memorial em homenagem às vítimas do Covid-19. O espaço reúne árvores nativas da Mata Atlântica, um ambiente dedicado para reflexão e uma escultura com cápsula do tempo dentro de um globo terrestre onde as pessoas poderão deixar mensagens de condolências e contar como enfrentaram a maior crise sanitária desde os tempos da gripe espanhola, epidemia que matou milhares de pessoas no início do século passado. 

O Centro Esportivo Vila Manchester é o parque do bairro. Com 55 mil m², o clube tem infraestrutura completa para que os moradores da região possam praticar esportes ao ar livre. O equipamento conta com academia ao ar livre, academia de judô, campo de futebol com arquibancada, espaço pet, ginásio poliesportivo, duas piscinas de fibra, piscina Infantil, piscina semi olímpica, playground infantil, duas quadras de futebol society, quadra de basquete 3×3, três salas de ginástica, sala multiuso, teatro e sala para avaliação médica.

A região abriga também dois shoppings: Anália Franco e Aricanduva. O primeiro oferece ao público mais de 300 lojas de todos os segmentos, além das salas multiplex de cinema da rede UCI e parque gastronômico com quase 60 opções entre restaurantes, fast-food, cafés, sorveterias, hamburguerias artesanais e docerias. O espaço está repleto de grifes gastronômicas, como Carlo’s Bakery, do chef confeiteiro e estrela global de realitys Buddy Valastro, Frutaria São Paulo, a doceira fitness Isabela Akkari, o oriental Jin Jin, os chocolates finos da Lindt e o Rosso Burguer. 

Mais popular, o Centro Comercial  Aricanduva conta, além do tradicional shopping, com o Interlar, megacomplexo do segmento de reforma e construção, e o Auto Shopping, uma gigantesca loja de carros novos e seminovos. O local abriga ainda dois hipermercados e uma unidade do Detran.

Gastronomia

Apesar da forte influência nipônica, a Vila Carrão não tem a mesma oferta de restaurantes e izakayas, os botecos típicos japoneses, de sua irmã mais famosa, a Liberdade. Mas não deixa os fãs da colorida e refrescante culinária da ilha asiática na mão. 

O bairro tem algumas casas interessantes, como o Sushiyô. Na decoração, itens simbólicos da cultura da Terra do Sol Nascente, como cerejeiras, bonsais e um grande aquário na entrada. O ambiente é amplo e arejado. A dica ali é o rodízio com sushis e sashimis elaborados com peixes e frutos do mar como ostra, camarão, lula, polvo, tilápia e peixe prego. 

Para os fãs da simplicidade dos botequins japoneses, a pedida é o Shima Izakaya. Administrado por uma família emigrada da Ilha Okinawa, a casa não lembra os izakayas tradicionais da Liberdade. É bem mais arrumadinho e pé-limpo, com muita madeira na decoração. Mas o principal elemento de um lugar desses está lá, o grande balcão, onde o cliente pode se deliciar com uma porção de ostras fresquinhas, sashimis de peixes como carapau gordo, pargo e parnamirim ou com um espetinho de wagyu, o corte bovino mais nobre do Japão. 

Mas nem só de comida japonesa vive a Vila Carrão. Não podemos esquecer que estamos na zona leste, o maior reduto nordestino fora do Nordeste do País. Boa parte dos quatro milhões de habitantes da ZL ou nasceu entre a Bahia e o Maranhão ou é filho de alguém que veio de lá. Para quem aprecia a culinária nordestina, duas indicações: Restaurante Casa do Norte Sabor do Sertão e a Casa do Norte Bodão. As duas servem pratos como galinhada, buchada, feijoada, carne de sol com macaxeira, torresmo gordo e outras saborosas iguarias sertanejas. O Bodão ainda tem um pequeno empório com produtos como farinha d’água, manteiga de garrafa, rapadura e tapioca. 

Pet

A Vila Carrão tem duas praças equipadas com os chamados “Parcães”. São elas a Alexandre Roberto Romano, conhecida na região como a do Alemão, e o canteiro entre as avenidas Aguiar da Beira e Barreira Grande. 

Para frequentá-las, a Prefeitura informa que há regras e normas que precisam ser seguidas. São elas: recolhimento das fezes para evitar sujeira e propagação de doenças, carteira de vacinação em dia, aplicação regular de antipulgas e anticarrapatos e uso de focinheira para animais de raças mais agressivas. Outra recomendação é manter o animal seguro em guias e coleiras. 

O Centro Esportivo Vila Manchester e o Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador (Ceret), no Tatuapé, também contam com a estrutura. Os equipamentos para lazer dos bichos e as regras de uso são as mesmas dos “Cachorródromos” dos parques e dos “Parcães” das praças da cidade. 

No vizinho Tatuapé está a unidade da zona leste do Hospital Veterinário Público Municipal. A instalação oferece atendimento veterinário gratuito para os tutores de pet da região. Inaugurado em 2012, o Hospital do Tatuapé foi o primeiro da cidade. Nos últimos cinco anos realizou mais de 50 mil atendimentos entre urgências e emergência. Também são realizados atendimentos de baixa e média complexidade. Há ainda as consultas de retorno, cirurgias, tratamentos ambulatoriais, exames e internações, além de consultas em sete especialidades: oftalmologia, cardiologia, endocrinologia, neurologia, oncologia, ortopedia e odontologia. Para que seu pet seja atendido, é necessário apresentar a seguinte documentação: documento de identificação com foto e CPF do responsável pelo animal; comprovante de residência atualizado em nome do responsável pelo animal; Registro Geral do Animal (RGA); cartão/comprovante de programa social, se houver. A unidade funciona das 07h às 17h de segunda a sexta-feira.

Para emergências na Vila Carrão, o Vet Popular funciona 24h de domingo a domingo. Como o nome sugere, o hospital presta atendimento veterinário a preços mais acessíveis para a população. Oferece consultas, cirurgias, exames laboratoriais, exames de imagem, especialidades, farmácia veterinária popular, centro de estética, internação, emergências, campanhas de castração, taxi dog e atendimento domiciliar. 

Cultura

Como outros bairros da zona leste, a Vila Carrão não dispõe de muitos equipamentos culturais. O principal é o Teatro Eva Wilma. Pertencente ao tradicional Colégio Mary Ward, a sala tem capacidade para 700 lugares. O espaço é equipado com modernos recursos de som e luz; possui  amplo estacionamento, quatro camarins, grandes coxias e entrada independente para os artistas. A inauguração foi em 14 de novembro de 2003, quando a própria homenageada  apresentou “Vivinha”, da dramaturga Marta Góes, escrita em homenagem aos 50 anos de carreira da atriz. A programação contempla show de rock, de bandas covers, espetáculos de stand-comedy, peças teatrais, musicais e espetáculos infantis.

O principal espaço público cultural das imediações é o Centro Cultural Vila Formosa. Inaugurado em 2016, foi criado a partir da junção de dois equipamentos: a Biblioteca Paulo Setúbal e o Teatro Zanoni Ferrite. O teatro foi inaugurado em 2010 e tem capacidade para 204 pessoas. Apresenta uma programação diversificada, com apresentações gratuitas de teatro adulto e infantil, dança, circo e música, além de shows de música e circo. 

Em 2016, a biblioteca comemorou 50 anos de existência. Possui um diversificado acervo com 45 mil títulos e oferece atividades como contação de histórias, feiras de troca de livros, saraus e oficinas de fanzine e xadrez. Em 2012, tornou-se oficialmente temática em literatura policial, concentrando os títulos do gênero do acervo público da cidade.

Realizado no mês de agosto, o Okinawa Festival é a festa oficial da colônia japonesa do Carrão. O evento tem apresentações de música e danças típicas da ilha e atrai gente de toda cidade para o bairro. A comida é outra atração do festival, com destaque para os doces e salgados como o Okinawa Soba, um macarrão tipo lámen com costela de porco, cebolinha, omelete e kambaboko (massa de peixe) fatiado.

A festa do Divino Espírito Santo também leva multidões ao bairro. Organizada pela Casa dos Açores da Vila Carrão, o tradicional evento católico de origem açoriana, ilha portuguesa no Atlântico de onde partiram os imigrantes para a região, terá em 2024 sua 50ª edição. A festa que faz parte do calendário oficial da cidade tem na gastronomia um dos seus principais atrativos. Entre as iguarias servidas estão as famosas malassadas ( massa sovada), os bolinhos de bacalhau, o caldo verde, vinho verde e outras delícias da culinária luso-açoriana e brasileira.

Segurança

Após passar por uma onda de violência em 2021, a Vila Carrão voltou a viver dias mais tranquilos. Naquele ano, o número de roubos e furtos registrados no 31º DP ultrapassou a casa dos quatro dígitos. Foram 1025 ocorrências, o que aterrorizou moradores e chamou a atenção da imprensa, que produziu diversas reportagens sobre a crise de segurança pública enfrentada pelo bairro onde vivem 83.281 pessoas, segundo levantamento do último Censo de 2010. O IBGE ainda não divulgou as estatísticas específicas sobre a população de distritos apuradas no último levantamento, realizado em 2022. 

No ano passado, houve uma queda no índice de delitos e os números voltaram a ficar dentro da média histórica da região, que fica na casa dos 900 registros. Mais precisamente foram 938 roubos e furtos no perímetro. Até julho deste ano, último dado divulgado até o momento pela Secretaria Estadual  de Segurança Pública, a unidade policial da área contabilizou 550 ocorrências dessa natureza.   

Localização 

Bairro da zona leste paulistana, a Vila Carrão está localizada entre a Vila Matilde, Tatuapé e Vila Formosa. Suas principais avenidas e vias de acesso são as avenidas Alcântara Machado (Radial Leste) e a Conselheiro Carrão. Está localizada a 12 quilômetros da Praça da Sé, a 13 quilômetros do Terminal Rodoviário do Tietê, a 20,7 quilômetros do Aeroporto de Congonhas e a 21 quilômetros do Aeroporto de Cumbica.

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Formigas em casa? Saiba como eliminar sem uso de pesticidas

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Após receber US$ 250 mi, construtech Vila 11 entregará obra de mais cinco prédios

2 minutos de leitura
Imagem destacada

O crescimento pasteurizado do mercado imobiliário

3 minutos de leitura
Imagem destacada

O quebra-cabeça urbano das várias Lapas paulistanas

3 minutos de leitura