Capa Principal

Guia de Bairros

Pompeia

O bairro mutante de São Paulo

A recente partida de Rita Lee trouxe a Pompéia de volta às manchetes dos principais sites, portais e telejornais do País. Foi naquelas ruelas e ladeiras que a menina ruiva e inquieta passou parte da infância e adolescência. No casarão da rua Venâncio Aires, ela e os irmãos Arnaldo e Sérgio Baptista criaram a que para muitos ainda é considerada a mais inovadora e criativa banda do rock brasileiro: Os Mutantes. 

Mas antes de Rita Lee, quem passeava por lá eram os imigrantes e operários italianos que atravessaram o Atlântico para trabalhar nos fornos da Companhia Melhoramentos, na avenida Santa Marina ou nas Indústrias Reunidas Matarazzo, potência industrial da época que tinha grandes instalações no bairro. Até hoje o bairro preserva em sua arquitetura o traço das fábricas de alvenaria e tijolos expostos do início do século XX. Nos dias atuais, a região é conhecida pelos bares, restaurantes e pela vida cultural.

Outro grande legado da imigração italiana no bairro é a Sociedade Esportiva Palmeiras. Fundado por ragazzos italianos em 1914, o Palestra Itália, seu nome de batismo, passou seus primeiros anos de existência no centro da cidade. Só se instalou de fato na Pompeia em 1920, quando, com o apoio da rica família Matarazzo, comprou o campo de futebol e grande parte do terreno que pertencia a Companhia Antarctica Paulista, hoje uma das marcas da Ambev. O valor pago, 500 contos de réis, era uma verdadeira fortuna naquele tempo. 

Na época da Segunda Guerra Mundial, o governo brasileiro extinguiu todos os clubes e associações que tivessem ligação com os países do chamado Eixo. Assim, morria o Palestra Itália e nascia o Palmeiras. O resto da história todo mundo conhece. 

Além de futebol, outra paixão do bairro é o Rock’n Roll. Bandas como Tutti Frutti, Made in Brazil e os já citados Mutantes surgiram no bairro. Pela sua efervescência musical, a Pompeia chegou a ficar conhecida como a Liverpool Brasileira, referência à cidade inglesa onde nasceram os Beatles. 

Desde os anos 90, a Pompeia passa por outra revolução. Mas em vez de guitarras e baixos, o som que se ouve é das máquinas e operários, dessa vez em sua maioria nordestinos, que estão verticalizando a região. Num curto espaço de tempo, casas do bairro como a que Rita Lee morou foram sumindo para dar lugar a luxuosos condomínios residenciais. 

E a tendência é que o ritmo dos trabalhos aumente com a chegada da Linha 6 Laranja do Metrô.  A Pompeia não para! 

Mobilidade

Para chegar na região, as linhas de ônibus vindas do Centro e da Lapa ainda são a melhor opção. A estação Barra Funda, parada da Linha 3-Vermelha do Metrô e das Linha 7-Diamante e 8-Rubi da CPTM, fica próxima. Está a cerca de dois quilômetros de distância do bairro. Mas o que vai mudar mesmo a mobilidade na região é a chegada da Linha 6 Laranja. 

Com mais da metade das obras concluídas na publicação desta reportagem, a futura estação Sesc Pompéia ficará próxima ao Allianz Park, novo nome do reformado estádio do Palmeiras, Bourbon Shopping, Shopping West Plaza e Sesc Pompeia. A previsão é que os primeiros trens circulem por ali em 2026. 

Educação 

A principal instituição de ensino superior da Pompéia é o Centro Universitário São Camilo, grupo que também administra um complexo hospitalar na região. Boa parte dos médicos, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem que trabalham no Hospital São Camilo são formados nos bancos da instituição de ensino.

Na área escolar, a região é atendida tanto pela rede pública quanto pela privada. O morador da Pompeia pode contar com a Escola Estadual Brigadeiro Faria Lima, E.E. José Candido de Souza, E.E. Miss Browne, E.E Prof. Zuleika de Barros Martins Ferreira, Escola Municipal de Educação Infantil Santos Dumont. As particulares mais concorridas são o Colégio Sagrado Coração de Jesus, My School Educação Infantil Bilíngue, Perdizes Agnus Dei. 

Saúde

O Hospital São Camilo é a principal referência médica no bairro. Inaugurado em 1960 e ampliado no começo da década passada, o complexo possui prontos-socorros infantil e adulto, unidades de terapia intensiva pediátrica, adulta, coronariana e neurológica. O centro médico oferece consultas agendadas e acompanhamento em diversas especialidades clínicas e cirúrgicas, adulto e infantil, incluindo acompanhamentos pré e pós-operatório. A unidade conta ainda com um centro de diagnóstico, oncologia e hemodinâmica e é referência da Rede São Camilo para a realização de Transplantes de Medula Óssea​.

Entre os equipamentos públicos, há duas Unidades Básicas de Saúde (UBS) na região: a Vila Anglo Doutor José Serra Ribeiro e Jardim Vera Cruz. Para cuidar da saúde mental, os moradores da Pompeia dispõem do Centro de Atendimento Psicossocial AD II Vila Madalena PROSAM. A unidade está localizada na rua Heitor Penteado, próxima à avenida Pompeia. 

Lazer

O maior parque próximo da Pompeia é o da Água Branca. Criado em 1929, o espaço conta com uma área de 137 mil m² onde encontram-se nascentes e árvores típicas de mata atlântica, como pau-brasil, pau-viola, cedro, grumixama, canela-cheirosa. O parque ainda conserva características que remetem ao ambiente rural, com presença de galos/galinhas, gansos e pavões. A maioria deles vive solta pela área. Por isso cachorros e outros animais domésticos são proibidos ali. 

O Parque também abriga várias exposições e eventos durante o ano, como a Feira Nacional da Reforma Agrária, promovida pelo Movimento Nacional dos Trabalhadores Sem Terra, além de oficinas e atividades como yoga, caminhada, corrida, ginástica e dança, entre outras. 

Outro espaço muito frequentado pela população do distrito é o Parque Reservatório Sabesp Sumaré. Propriedade da companhia estatal de abastecimento e saneamento básico, o local foi aberto para o lazer da população em 1998. Entre as suas duas caixas d ‘água que abastecem 135 mil moradores do distrito, há trilhas para corridas e caminhadas e playground com diversos brinquedos, como gira-gira, escorregadores e balanços. A vegetação conta com diversas espécies e árvores centenárias. 

Pertinho dali está a  Praça Homero Silva, ou Praça da Nascente, como é mais conhecida. O espaço tem pista de caminhada, parquinho para as crianças e bastante espaço para passear com o cachorro. O lago da praça é abastecido pelo córrego da Água Preta, que teve seu trajeto canalizado até o Rio Tietê. O curso d’água dá nome também a um dos blocos carnavalescos mais tradicionais e animados da região. 

Para quem gosta ou precisa fazer compras, a região conta com dois grandes centros comerciais: o Bourbon Shopping e o West Plaza.  Inaugurado em 2008, o Bourbon Shopping conta com 203 lojas de grifes nacionais e internacionais como Renner, Riachuelo, C&A e Zara. Ganham destaque grifes top no cenário fashion, como Tommy Hilfiger, Le Lis Blanc, Crawford, Animale, Victor Hugo, Nike e Forever 21.

Para os cinéfilos, são 10 salas de cinema do cultuado Espaço Itaú. Entre elas destaque para a primeira IMAX do Brasil. Com uma tela de 21 metros de largura por 14 de altura, a estrutura é 26% maior do que uma similar convencional. 

A cerca de um quilômetro dali está o complexo comercial mais antigo da região. Muitos achavam que o tradicional West Plaza iria sucumbir com a chegada do concorrente mais novo e moderno. Mas ele segue firme na avenida Francisco Matarazzo, nas proximidades do viaduto Antarctica. Mas para isso teve que se adaptar aos novos tempos e à concorrência. 

Nesta nova fase, o shopping inaugurado em 1991 deixou de ser apenas um local de compras para oferecer serviços como posto de emissão de passaporte da Polícia Federal, uma unidade do Hospital Cema, Carrefour Express e academia Bio Ritmo. Seu polo gastronômico apresenta restaurantes como Jeronimo Burger, Black Beef, Pecorino Bar e Trattoria, L’Entrecôte de Paris, Temakeria e Cia, Outback Steakhouse e Johnny Rockets. Para lazer e entretenimento, o frequentador tem as salas de cinemas da rede Cinemark e o Teatro West Plaza.

Aos moderninhos em busca de agito e badalação noturna, o descolado Milo Garage é o endereço certo no bairro. A casa é o novo reduto do rock alternativo da Pompeia. Com sets ousados e inventivos, os DJs da casa são outra atração à parte. 

Gastronomia

Não se sabe ao certo quem criou e como surgiu. Mas o filé à parmeggiana é invenção de algum imigrante italiano radicado no Brasil. E um dos melhores da cidade está na Pompeia. Segundo o restaurante Degas, o seu é o melhor de São Paulo. O prato é feito com filé mignon empanado em farinha especial, molho de tomate pelado e generosas camadas de parmesão que derretem no forno. Faz tanto sucesso que nos finais de semana a fila de espera pode durar algumas horas. E apesar de o prato que lhe deu fama ter sotque italiano, a casa é lusitana. Seu fundador, Aristides Carvalho, veio da Terrinha para fazer a vida no Brasil. 

Felicidade Bastos é outra portuguesa famosa no bairro. Ao lado do marido, Manuel Bastos, ela fundou alguns dos patrimônios etílicos-gastronômicos na região. O primeiro deles foi o boteco Pé Pra Fora na avenida Pompeia, perto da avenida Heitor Penteado. Depois veio o Dona Felicidade, restaurante célebre por sua feijoada e por preparar alguns dos melhores pratos de bacalhau de São Paulo. 

Com a sua morte em junho do ano passado, coube aos filhos darem continuidade ao seu legado. A família tem outro empreendimento na Pompeia, o boteco Tiro-Liro, famoso por seu balcão de acepipes e embutidos fresquissímos e oferecer uma das mais bem guarnecidas cartas de uísque da cena botequeira paulistana. 

Mais um notório empreendimento com DNA luso nascido na italianíssima Pompeia é a Dona Deôla. Fundada em 1949 pela portuguesa Deolinda, a padaria tem filiais espalhadas pela cidade, servindo lanches, refeições, sopas, e claro, pães dos mais variados tipos e formatos. São cinco unidades: a matriz na Pompéia, Alto da Lapa, Higienópolis, Granja Viana e Saúde. 

Mas a cena gastronômica do bairro não se resume a italianos e portugueses. Dois brasileiríssimos Souzas, um com S e outro Z, fincaram bandeiras por lá.

Um deles é uma verdadeira lenda da coquetelaria paulistana. Desde 2018, o barman Deusdete Neris de Souza, o Souza, que por 13 anos esteve atrás do balcão do Veloso, na Vila Mariana, elabora seus premiados drinques e caipirinhas na Esquina do Souza. Ele tem como sócios na empreitada a esposa e cozinheira, Tatiane Balbino, e o empresário Augusto Vianna. O negócio deu tão certo que já abriu uma filial na Vila Leopoldina.

O Souza mais conhecido da Pompeia há anos mata a fome de trabalhadores e baladeiros nos dias e madrugadas do bairro. A Lanchonete é uma das poucas 24 horas que restam na cidade. Por isso é comum vê-la cheia até o amanhecer, com as mesas cheias de gente que sai das festas e inferninhos e vai lá para comer um lanche ou salgado ou tomar o último gole antes de ir para cama. 

PET

Sem grandes áreas verdes no bairro, o maior parque próximo com espaço próprio para diversão canina fica no Parque Villa Lobos. Desde 2022 sob administração de uma concessionária privada, o espaço oferece dois “cachorródromos”, áreas cercadas e delimitadas onde os bichos podem correr e brincar sem coleiras e guias. Os animais de pequeno porte devem ficar em um espaço de 500 m 2. Os maiores no de 1,5 mil m². Eles são separados por tamanho e peso justamente para segurança dos menores, que podem levar a pior numa brincadeira com os “grandões”. 

O piso é de areia, há dois quiosques com cobertura e alguns bancos para os tutores acompanharem as brincadeiras dos seus bichos. Perto da grade, há bebedouros para matar a sede dos “cãopanheiros”. No meio do espaço há um túnel e pneus para que os animais possam passar por  cima ou por dentro deles. 

A região conta também com  algumas praças com parcães. São elas: Miriam de Barros, Ana Maria Poppovic, Paul Klee, Ilza Weltman Hutzler, Diogo do Amaral, Francisco Matarazzo Jr.  Para frequentá-los, a Prefeitura informa que há regras e normas que precisam ser seguidas. São elas: recolhimento das fezes para evitar sujeira e propagação de doenças, carteira de vacinação em dia, aplicação regular de antipulgas e anticarrapatos e uso de focinheira para animais de raças mais agressivas. Outra recomendação é manter o animal seguro em guias e coleiras.

Para os clientes que forem ao shopping com os seus bichos, o West Plaza criou um boulevard Pet. Além de bebedouros espalhados pelo espaço, quem levar o melhor amigo ou amiga lá ganha um kit pet com brinquedos e guloseimas de presente. 

Assim como acontece na Lapa, as duas gigantes do mercado Pet Care da cidade disputam clientes literalmente lado a lado. Na Pompéia, a distância entre as lojas da Petz e da Cobasi se resume a poucos metros. A primeira está instalada no Complexo SP Mega Stores, na avenida Francisco Matarazzo, ao lado do Viaduto Pompeia.  A Cobasi fica num endereço ao lado do concorrente. Literalmente, uma briga de cachorro grande. 

Cultura

A história do Sesc Pompéia mostra o quão está identificado com o passado industrial do bairro. O espaço, que no início da década de 80 foi repaginado pela arquiteta italiana Lina Bo Bardi, ocupa as instalações de uma antiga fábrica de tambores, não musicais, que depois deu lugar a uma manufatura de geladeiras. Inclusive, seu primeiro nome foi SESC Fábrica da Pompéia. Reinaugurado em 1982, o complexo tem área total construída de 23,571 m² e se tornou um dos motores da cena cultural paulistana. 

Sua  programação apresenta peças de teatro, exibição de filmes, shows, oficinas, cursos, área de leitura, exposições de arte. Há também quadras esportivas e piscina para a prática de atividades esportivas. Um dos seus destaques é a choperia, grande bar instalado no interior do seu principal espaço para apresentações musicais. 

Em 2021, o americano “New York Times” elegeu o edifício do Sesc Pompeia como uma dos 25 obras arquitetônicas mais importantes do mundo do Pós-Guerra, ao lado de outros marcos da arquitetura moderna, como a Casa Luis Barragán, na Cidade do México, Convento Sainte-Marie de La Tourette, na França, a Ópera de Sydney, na Austrália, a Casa Luis Barragán, no México.

Assim como o Sesc Pompeia, a Casa das Caldeiras é mais uma herança industrial do bairro. A instalação é remanescente do gigantesco complexo do Conde Francisco Matarazzo na região. É formada por um conjunto de três caldeiras abrigadas numa grande nave, além dos túneis e as comportas associadas ao sistema de circulação de ar. Era de lá que saia o vapor que impulsionava as máquinas que fizeram das Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo, um dos maiores conglomerados industriais do mundo da sua época. A Casa das Caldeiras recebe shows, festas, lançamentos de livros e eventos dos mais variados tipos. 

Inaugurado em 2009, o Teatro Bradesco conquistou seu lugar no cenário cultural do bairro. Instalado no 3º piso do Shopping Bourbon, a grande sala tem capacidade para 1.439 pessoas e área total de mais de 7 mil m². É considerado o maior espaço teatral dentro de um shopping no Brasil. Nesses 14 anos, recebeu  mais de 600 shows, musicais, peças de teatro, espetáculos de dança e eventos corporativos. Quase dois milhões de espectadores já frequentaram o espaço. 

Coladinho ao shopping que abriga o Teatro Bradesco está aquele que se tornou o principal palco dos megashows na cidade. Desde a sua reinauguração em 2014, o Allianz Parque, também conhecido como estádio do Palmeiras, recebeu algumas das maiores estrelas do showbizz nacional e internacional que se apresentaram na cidade. A lista é grande e inclui estrelas do porte de Paul McCartney, Foo Fighters, Coldplay, Andrea Bocelli e a turnê de despedida dos Titãs, entre dezenas de outras atrações. Para esses eventos, a capacidade da Arena chega a 55 mil pessoas.

Segurança

Segundo levantamento exclusivo de Imóveis de O Estado de São Paulo com base nos dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP), de janeiro a agosto deste ano foram registrados 232 roubos e furtos nas ruas da Pompeia e dos bairros vizinhos Vila Pompeia e Vila Anglo Brasileira. Uma média de quase um delito por dia. Deste total, 53 furtos foram  praticados em veículos estacionados nas ruas e estacionamentos do bairro. 

Porém, o recorte estatístico que mais preocupa os moradores é o aumento significativo dos furtos e roubos em residências e condomínios do distrito. Em 2022, houve apenas um delito dessa natureza no perímetro. O crime aconteceu na Vila Anglo Brasileira. Este ano, até agosto, foram 11 furtos e roubos praticados em casas e apartamentos da área. Como a SSP-SP não divulga os endereços dos locais onde os crimes ocorreram,  não é possível saber qual a rua ou avenida que mais sofreu com a ação dos bandidos. 

No início do ano passado, moradores da rua Ministro Sinésio Rocha, na Vila Anglo Brasileira, pedacinho da região muito ocupado por casas térreas, pintaram no asfalto da via os dizeres “SOS Mais Segurança”. Ao que tudo indica, as autoridades policiais não ouviram o apelo. 

Localização

Bairro da zona oeste da cidade, a Pompéia tem como vizinhos Perdizes, Lapa, Vila Romana, Água Branca e Sumaré. Está localizada a 8,8 quilômetros da Praça da Sé, 9 quilômetros do Terminal Rodoviário do Tietê, 14,5 quilômetros do Aeroporto de Congonhas e 32,4 quilômetros do Aeroporto de Guarulhos. Suas principais vias de acesso e circulação são as avenidas Sumaré, Pompéia, Alfonso Bovero, Francisco Matarazzo, Heitor Penteado e as ruas Caraíbas, Diana e Venâncio Aires.

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Visão positiva faz construtora reforçar projetos no Minha Casa Minha Vida

1 minuto de leitura
Imagem destacada

Evento em São Paulo debate o futuro e as tendências da construção modular

1 minuto de leitura
Imagem destacada

Famílias trocam cidade por condomínios em busca de conforto e segurança

5 minutos de leitura
Imagem destacada

Casa ou apartamento? Descubra qual se encaixa melhor no seu estilo de vida

2 minutos de leitura