Capa Principal

Guia de Bairros

Morumbi

Um bairro marcado por contrastes

Em 1974, o economista e ex-presidente do Banco Central, Edmar Bacha, inseriu nos dicionários econômicos o termo Belíndia. Bacha se referia às desigualdades sociais de um País que, simultaneamente, tinha regiões ricas como Bélgica e miseráveis como as da Índia. Seu pensamento era direcionado aos contrastes do Brasil. Mas, como em outras cidades brasileiras, onde pobreza e riqueza convivem e se misturam, a tese poderia se aplicar também ao Morumbi. O bairro da zona oeste paulistana abriga em seu perímetro mansões da alta sociedade paulistana e os barracos da comunidade de Paraisópolis.

A história do bairro tem início no século XIX, quando o inglês John Rudge comprou cerca de 700 alqueires de terra para constituir a Fazenda Morumby (naquela época grafada com “y”), propriedade dedicada ao cultivo de chá, além de uma pequena capela. A igrejinha está lá até hoje e foi convertida em um museu administrado pela Prefeitura de São Paulo. 

Dois fatos marcaram a história do bairro: a construção do Estádio Cícero Pompeu de Toledo (1952), do São Paulo Futebol Clube, e a transferência da sede do Governo do Estado para a avenida Morumbi. Em 1964, o governador Adhemar de Barros negociou um terreno da família Matarazzo em troca de dívidas do clã de origem italiana que por décadas foi o sinônimo de riqueza e poder de São Paulo.

Mobilidade

A grande revolução recente da mobilidade no bairro foi a inauguração, em 2018, da Estação São Paulo/Morumbi da Linha 4 Amarela do Metrô. Entregue com pelo menos quatro anos de atraso, o trecho fazia parte do projeto original de São Paulo para Copa de 2014, que inicialmente previa o Estádio do Morumbi como sede do Mundial. Os jogos acabaram sendo realizados na corintiana Neo Química Arena, em Itaquera, no extremo leste da capital.    

Outra obra prevista para a região é a da Linha 17 Ouro do Metrô, sistema de Monotrilho suspenso que ligará a Estação Morumbi da Linha Esmeralda da CPTM ao Aeroporto de Congonhas. Prevista também para ser concluída em 2014, o projeto foi adiado diversas vezes e agora tem previsão de entrega à população no primeiro semestre de 2026.

O bairro é servido por diversas linhas de ônibus e conta com duas estações da CPTM: Cidade Jardim e Morumbi. Para quem prefere se deslocar de bicicleta, a região conta com a Ciclovia do Rio Pinheiros, com 21 quilômetros de extensão e que liga o bairro a outros distritos da região.

Educação

O Morumbi se orgulha de ter em seu perímetro alguns dos melhores e mais tradicionais colégios da cidade. Entre elas, o tradicional e centenário alemão Visconde de Porto Seguro, o católico Santo Américo e o espanhol Miguel de Cervantes, todas instituições particulares de ensino. Na educação pública, conta a Escola Senador Adolfo Gordo, a Escola Mary Moraes e a Escola Adalgiza Segurado da Silveira.

Saúde 

Instalado no Morumbi, o Hospital Israelita Albert Einstein é uma das melhores e mais modernas unidades hospitalares do País. Muito procurado por políticos e personalidades, o Einstein atendeu pacientes famosos como a apresentadora Hebe Camargo, o Rei Pelé e, mais recentemente, o apresentador Fausto Silva, que ali realizou o transplante de coração que salvou sua vida. 

A região abriga também uma unidade hospitalar da Rede D’Or São Luiz, o hospital Leforte Morumbi, o público estadual Hospital Infantil Darcy Vargas, e diversos centros especializados, como a Clínica Urogastro, Clínica Fares, Clínica Synesis e o Centro de Apoio Psicossocial Adulto III Paraisópolis, unidade pública dedicada à saúde mental. 

Lazer

O maior e mais famoso equipamento esportivo e de lazer do bairro é o Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi. Até poucos anos, era a principal casa do futebol paulista, recebendo inúmeras decisões de campeonatos e jogos históricos. Com a inauguração das novas arenas de Corinthians e Palmeiras, o local perdeu um pouco de sua relevância. Menos para os são-paulinos, que garantiram ao clube a segunda melhor média de público do ano do futebol brasileiro até aqui. Mas nem só de futebol vive aquele que um dia foi chamado de o “Maior Estádio Particular do Mundo”. 

O Morumbi foi palco de shows históricos de grandes nomes da música internacional, como o Queen, que em 1981 fez ali seu primeiro grande show no País, além de receber grandes nomes do pop e rock internacional como Kiss, Madonna, U2 e Rolling Stones e Coldplay, entre outros gigantes do showbiz mundial.  O bairro oferece, também, diversos serviços e opções de entretenimento e lazer, como os shoppings Jardim Sul e Morumbi Town e os parques Burle Marx e Alfredo Volpi.

Gastronomia

O Morumbi oferece uma boa e qualificada gastronomia. Um dos melhores exemplos é o romântico e aconchegante Era uma vez um Chalezinho, um dos mais tradicionais e antigos rodízios de fondue da cidade. No Estádio do Morumbi, há mais opções além de bola rolando, como o sofisticado By Koji, restaurante japonês do renomado chef Koji Yokomizo que permite a experiência de degustar os delicados sushis e sashimis da casa com vista privilegiada para o gramado do estádio. 

A rua José Jannarelli está se tornando um animado polo gastronômico na região. Lá estão instalados uma unidade da rede de pizzarias La Braciera, com suas famosas redondas com massa de longa fermentação, o Stunt Burguer, o contemporâneo KAL Cozinha Criativa e, para o dia a dia saudável, os congelados do Dona Manjerico. 

PET

Os tutores de pet no Morumbi podem se considerar privilegiados. O bairro conta com um dos cinco parques públicos da cidade com “Cachorrodrómo”. O Burle Marx tem uma área delimitada para que seu cão possa correr, brincar e rolar sem o uso de correias e guias. Trata-se de um ambiente com vasta área verde (gramado e árvores), obstáculos, rampas, pequenos túneis e pontos com bebedouros próprios para que os bichinhos possam se hidratar e refrescar.   

A região conta com algumas praças equipadas com os chamados “parcães”, espaços segregados e cercados para você se divertir com seu “cãopanheiro” sem que ele precise usar guias ou coleiras. São elas a Praça Vinícius de Moraes, pertinho do Hospital Israelita Albert Einstein, e a Vila de Sintra. Para frequentá-la, a Prefeitura informa que há regras e normas que precisam ser seguidas. São elas: recolhimento das fezes para evitar sujeira e propagação de doenças, carteira de vacinação em dia, aplicação regular de antipulgas e anticarrapatos e uso de focinheira para animais de raças mais agressivas. Outra recomendação é manter o animal seguro em guias e coleiras.

O bairro dispõe de unidades da megarede de produtos e serviços Petz e hospitais veterinários 24 horas como o Pet Care Morumbi. Para quem não deixa o cachorro sozinho nem quando sai para comer, a opção de restaurante pet friendly na região é a loja da rede Cabana Burguer no Morumbi Town Shopping.

Cultura

Mesmo não sendo parte do mainstream cultural de São Paulo, o Morumbi oferece alternativas culturais para seus moradores. Além dos megashows no estádio do São Paulo, um dos melhores programas do bairro é o Teatro do Morumbi Shopping. Instalado no piso G1 do centro comercial, a casa completou seis anos de operação em 2022. Nesse período, recebeu mais de 182 espetáculos e recebeu um público total superior a 160 mil pessoas. A programação é dividida entre shows musicais, espetáculos de stand-up comedy e teatro infantil.      

Outro destaque da região são as salas de cinema do Cinesystem Morumbi Town. O complexo operado por uma rede paranaense é um dos mais confortáveis da cidade. Principal e maior sala do multiplex (243 lugares), a Cinépic é híbrida, com as três fileiras finais da categoria VIP e todas as demais poltronas “premium”. A sala é equipada com som Dolby Atmos (considerado o melhor da cidade).

Segurança

Até os anos 90, o Morumbi era considerado uma ilha de segurança na metrópole. A tranquilidade e a baixa criminalidade foram fatores que levaram a alta sociedade paulistana a se instalar no bairro. Mas, do início do século para cá, o outrora pacato bairro vive tempos de insegurança. Em 2001, o sequestro do empresário e apresentador Sílvio Santos foi considerado o marco simbólico dessa virada de chave. 

Um dos maiores temores dos moradores da região é o roubo e furtos a residências. Por isso é comum ver seguranças andando pelas silenciosas ruas do perímetro. A região é atendida por duas delegacias: o 34º DP de Vila Sônia e o 89º DP Portal do Morumbi.

Segundo levantamento exclusivo do Estadão Imóveis com base nos dados da Secretaria de Segurança Pública, nos seis primeiros meses de 2023 os dois DPS, somados, registraram 76 ocorrências dessa natureza nos bairros do Morumbi, Vila Andrade e Vila Sônia. Uma delas terminou com uma vítima assassinada na Vila Andrade. A SSP-SP não divulga o endereço dos locais onde ocorreram os crimes.  Portanto, não é possível identificar quais os logradouros da região são mais suscetíveis a ação dos bandidos. 

Apesar da morte violenta, os números de 2023 estão um pouco melhores do que os registrados no primeiro semestre do ano passado. Em 2022, os três bairros somaram 81 roubos e furtos domiciliares no  perímetro.  

Localização

Situado na zona oeste de São Paulo, o Morumbi está localizado a 14 quilômetros da Praça da Sé, 10 quilômetros do Aeroporto de Congonhas, 20,8 quilômetros do Terminal Rodoviário do Tietê e a 46 quilômetros do Aeroporto de Cumbica. As principais vias de acesso e circulação do bairro são a Marginal Pinheiros e as avenidas Giovanni Gronchi, Morumbi, Padre Lebret, Jorge João Saad e Francisco Morato.

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Caixa aumenta faixa de renda e reduz juros no programa Casa Verde e Amarela

1 minuto de leitura
Imagem destacada

O que a Lei do Inquilinato diz sobre a vistoria de entrada?

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Conheça as propostas do governo para o Minha Casa Minha Vida

4 minutos de leitura
Imagem destacada

O que são e como são estabelecidas as regras do condomínio

1 minuto de leitura