Capa Principal

Guia de Bairros

Cambuci

Tradição, revolução, samba e arte. Conheça mais sobre o bairro Cambuci em SP.

Localizado no Centro, entre o Parque Dom Pedro e o Ipiranga, o Cambuci é um dos bairros mais antigos de São Paulo. Seu nome vem de uma árvore, outrora abundante na região, muito conhecida pela alta qualidade de sua madeira e pelo sabor de seus frutos, matéria-prima para doces e cachaças saborizadas. 

Em meados de 1900, o local era rota de passagem de tropeiros e viajantes que vinham do litoral para comercializar mercadorias na área hoje ocupada pelo Mercadão.

Antes de chegarem ao seu destino, paravam num córrego para lavar os pés e descansarem. O curso d’água era considerado a divisa entre a região central e a então zona rural de São Paulo. O Lavapés deu nome à principal rua do bairro e à escola de samba mais antiga da cidade.

No início do século passado, o Cambuci se tornou reduto de imigrantes, especialmente italianos, que desembarcaram em São Paulo para trabalhar nas grandes fábricas que começaram a se instalar na cidade. Algumas delas inclusive em seu perímetro, como a Chapéus Ramenzoni e a primeira oficina de manutenção da Light, empresa inglesa que eletrificou a cidade. 

Durante a revolução de 1924, o Cambuci viveu outro momento histórico. Comandados pelo general Isidro Dias Lopes, rebeldes que lutavam contra o governo tomaram a Igreja da Glória e dali resistiram ao ataque das tropas legalistas. Uma das torres da construção foi destruída no combate.

O Cambuci é famoso pelos seus moradores ilustres. Talvez o mais célebre deles foi o modernista Alfredo Volpi. Conhecido como o “pintor das bandeirinhas”, Volpi viveu praticamente toda sua vida no bairro, que inclusive foi retratado por ele em algumas de suas obras.

Mobilidade

Por ser um bairro central, o Cambuci tem acesso rápido e fácil para outras localidades de São Paulo. A proximidade de grandes avenidas, como a do Estado e a Dom Pedro I, além dos corredores de ônibus, facilita o deslocamento por automóvel ou transporte público.

Não há Metrô ou trem da CPTM em seu perímetro.  As estações mais próximas ficam em bairros vizinhos, como a Dom Pedro II, na 2 linha Vermelha, e a São Joaquim, da Linha 1 Azul. A oferta de linhas de ônibus é ampla, especialmente para zona sul e região do Ipiranga.

Educação

A mais tradicional instituição de ensino do bairro é também uma das mais antigas do País e do mundo. Fundada na França em 1817 pelo padre Marcelino Champagnat, a Missão Marista administra escolas e universidades por todo o mundo. Sua proposta pedagógica alia ciência e educação aos valores cristãos baseados nos ensinamentos de Maria. O Colégio Marista Glória do Cambuci foi inaugurado em 11 de fevereiro de 1902. Seus fundadores foram os irmãos maristas Luís Anastácio, Erasmo, Eustáquio e Pierre Austremoine. Seus primeiros alunos foram os filhos dos operários italianos que ali se instalaram.

Mesmo com a mudança das indústrias para o ABC e outras regiões do estado, o bairro ainda mantém sua vocação para o ensino técnico e profissionalizante. O Senai mantém no distrito duas unidades: o Carlos Pasquale, especializada em cursos na área de energia, incluindo fontes renováveis, e a Fundação Zerrenner, que mantém o Colégio Dr. Walter Belian, onde são oferecidos cursos de formação em diversas áreas como automação, construção civil, eletrônica, química e TI, entre outras.

O bairro do Cambuci abriga também as escolas particulares, exemplo da Paulo de Tarso, Colégio Aclimação e o Colégio Diáspora, além de instituições públicas, como Escola Municipal Oscar Thompson e a Escola Estadual Adelina Issa Ashcar.

Saúde

O principal equipamento de saúde do bairro é o Hospital Cruz Azul. Sua história tem início em 1925, quando a Comissão de Damas da Sociedade Paulistana pediu apoio ao Coronel Pedro Dias de Campos, Comandante da Força Pública (atual PM SP), para a construção de um hospital para atendimento médico de soldados e suas viúvas. O militar fez uso de sua influência e procurou o rico comerciante José de Sampaio Moreira, que doou o terreno no qual, uma década depois, foi inaugurado o Hospital e Maternidade Santa Maria da Cruz Azul.

A unidade dispõe de ambulatório para consultas médicas, centro cirúrgico, CTI com UTI geral, coronariana, pediátrica e neonatal, centro obstétrico, hospital dia, laboratórios para realização de exames biológicos, cardíacos e imagem, maternidade, prevent care, pronto-socorro (adulto, infantil e obstétrico) e unidades de internação em todas as especialidades médicas.

A poucas quadras do Cruz Azul está localizado o Centro de Diagnóstico e Tratamento de Doenças da Retina e Glaucoma do Instituto da Visão, entidade criada por professores do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal do Estado de São Paulo (UNIFESP EPM). Por meio de um convênio com a Secretaria de Saúde do Estado, o instituto presta atendimento gratuito para tratamento de doenças oculares. Em 2019, passou a incluir cirurgias de vitrectomia para doenças retinianas.

O bairro conta também com uma Unidade Básica de Saúde (UBS) localizada na avenida Lacerda Franco. Na unidade, o usuário pode realizar consultas médicas, inalações, injeções, curativos, vacinas, coleta de exames laboratoriais, tratamento odontológico, encaminhamentos para especialidades e fornecimento de medicação básica.

Lazer

Uma das principais opções de lazer do Cambuci está localizada em seus arredores. Falamos do Parque da Aclimação. Com uma área de 112 mil m², conta com um lago natural, jardins parisienses, aparelhos de ginástica, pista de corrida e caminhada, campo de futebol, quadras de vôlei e basquete. O Largo do Cambuci e a Rua Lins de Vasconcelos são os centros comerciais mais importantes do distrito, com diversas lojas de rua.

Mas a grande novidade na região está prevista para 2025. O Cambuci receberá o primeiro shopping center do Grupo Partage em São Paulo. Com um investimento de R$ 300 milhões, o empreendimento ficará ao lado do hipermercado Carrefour, na avenida do Estado. O complexo terá 250 lojas e um rooftop para eventos, bares e restaurantes ao ar livre.

O bairro oferece também diversão e entretenimento para turma da melhor idade, como o polo cultural José Lewgoy. O equipamento público da Prefeitura oferece as mais diversas atividades para o público 60+. A grade é extensa e variada. Inclui oficinas de dança, teatro, pilates, pintura, dança, artesanato, ginástica, alongamento, capoeira e yoga.

Gastronomia

O Cambuci não tem a fama culinária da Mooca e do Bixiga. Mas o DNA italiano do bairro está presente em seus restaurantes. Com mais de 70 anos de história, a Cantina 1020 é uma das mais tradicionais da cidade. Um dos campeões de pedidos da casa é a perna de cabrito com brócolis. A oferta de massas é generosa. Ravioli, rondeli, agnolotti, lasanha, capeletti, canelone são servidos com diversos molhos e recheios. E como toda cantina italiana que se preza, tem música ao vivo.

Um endereço que vale a visita é o Ed Carnes. Aberta em 1988, a casa pertence ao cantor Ed Carlos, conhecido como o “Reizinho da Jovem Guarda”. O título foi dado por ninguém mais ninguém menos que Roberto Carlos. Quando tinha 13 anos, Ed, o caçula do movimento musical, foi apadrinhado pelo Rei.  O imóvel em que funciona o estabelecimento, inclusive, pertence ao cantor famoso. Ele decidiu comprá-lo para ajudar o amigo que, anos atrás, sofreu um AVC. As paredes da casa são repletas de fotos e cartazes de shows dos tempos em que Ed brilhava nos palcos e de amigos famosos da Jovem Guarda. Claro que a música não poderia faltar. A casa tem apresentações de artistas covers e de cantores que fizeram fama entre os anos 60 e 80. Para acompanhar, a pedida é a Costela do Adão, suculento corte bovino assado por 12 horas e servido com as guarnições do farto buffet do restaurante.

Outra casa tradicional do bairro é o restaurante e pizzaria Javali. Com as portas abertas desde 1962, é um dos endereços favoritos das famílias do Cambuci. Pizzas e carnes são as estrelas do cardápio. Como o nome da casa sugere, seu prato principal é o carré de javali na brasa com brócolis e feijão tropeiro. O restaurante abre de terça a domingo, das 18h às 24h.

Pet

Bairro central com muito concreto e pouca área verde, o Cambuci não é dos locais mais amigáveis para pets na cidade. Quem quiser passear com seu cão por lá ou o leva pelas ruas e poucas praças da área ou tem que ir a algum parque próximo, como o da Aclimação. A boa notícia é que lá há o “Cachorrodrómo”. Trata-se de uma área específica do parque onde seu melhor amigo pode brincar, correr e rolar com outros cachorros sem a necessidade do uso de coleiras. O ambiente oferece uma grande área verde (gramado e árvores) e é equipado com obstáculos, rampas, pequenos túneis e pontos com bebedouros próprios para que os bichinhos possam se refrescar e se hidratar. O Parque da Aclimação está aberto das 5h às 20h.

Algumas praças da região abrigam os chamados “Parcães”, áreas delimitadas e cercadas que oferecem segurança e privacidade para os tutores de Pet. São elas a Álvaro Cardoso de Moura e a Hélio Ansaldo, a mais famosa do bairro encravada na rua do Lavapés. Para frequentá-los, a Prefeitura informa que há regras e normas que precisam ser seguidas. São elas: recolhimento das fezes para evitar sujeira e propagação de doenças, carteira de vacinação em dia, aplicação regular de antipulgas e anticarrapatos e uso de focinheira para animais de raças mais agressivas. Outra recomendação é manter o animal seguro por guias e coleiras.

Para quem precisa viajar ou ficar ausente de casa ou não tem com quem deixar o animal, a opção é o Hostcao Pet. A hospedagem é feita em uma casa ampla com locais apropriados para descanso. O espaço é equipado com brinquedos e atividades para seu pet se divertir e gastar energia. 

Cultura

Localizado a poucos quilômetros do Cambuci, o Museu do Ipiranga foi inteiramente reformado para as festividades do Bicentenário da Independência, em 2022. O equipamento cultural passou por uma grande restauração, com custo estimado de R$ 235 milhões. O novo Ipiranga praticamente dobrou de tamanho. Sua área expositiva foi triplicada, passando de 12 para 49 salas, o que permite um número recorde de acervos do Museu expostos. O circuito conta com 70 peças multimídia, salas imersivas, espaços interativos e acessibilidade, com cerca de 390 recursos multissensoriais disponíveis para todos os públicos, como telas táteis, maquetes e réplicas ampliadas de diversos itens do acervo. Ganhou também com um novo auditório para 200 espectadores e uma grande sala de exposições temporárias.

A reforma transformou a experiência dos visitantes. O edifício ganhou nova bilheteria, café, loja, espaços e salas para atendimento de estudantes de escolas públicas e privadas. No lugar ocupado pela antiga administração, há agora um restaurante e na área externa foi criada uma área para receber food-trucks e food bikes que vendem comidas e bebidas diversas.

A região abriga também a única biblioteca pública com literatura especializada em Meio Ambiente da cidade. É a Raul Bopp, na Aclimação. Das 33 mil obras do acervo, duas mil tratam de natureza, biomas, biodiversidade, ancestralidade indígena e conservação ambiental.

Segurança

Como todos os bairros da região central, o Cambuci sofre os reflexos da crise da Cracolândia. Dependentes químicos circulam pela região e muitos se abrigam nos viadutos do vizinho Glicério. Apesar disso, o distrito até que está conseguindo se blindar da violência. Produzido pelo Instituto Sou da Paz, organização dedicada a estudos sobre violência urbana e segurança pública, o Índice de Exposição a Crimes Violentosconsiderou o Cambuci como um dos dez bairros mais seguros de São Paulo. Feito em 2018, o levantamento contabiliza crimes letais, sexuais e contra o patrimônio, além de definir o percentual de vulnerabilidade da população a esses delitos.

Em 2022, o 6ª Distrito Policial do Cambuci contabilizou 4.087 roubos e furtos no perímetro do bairro.  A estatística inclui celulares, bolsas, carteiras, mochilas e outros itens de uso pessoal. Até julho deste ano foram 2066 crimes dessa natureza registrados na unidade policial do bairro.

Localização

O Cambuci está na área da Subprefeitura da Sé, encravado entre os bairros do Ipiranga, Liberdade e Mooca. O distrito está a 2,4 quilômetros da Praça da Sé; a 9,7 quilômetros do Terminal Rodoviário do Tietê; a 11 quilômetros do Aeroporto de Congonhas e a 28 quilômetros do Aeroporto Internacional de Cumbica. Suas principais vias de acesso e circulação são as avenidas do Estado e Lins de Vasconcelos e as ruas Luiz Gama, Lavapés e Independência.

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Top Imobiliário 2021: maioria dos imóveis lançados em 2020 custou até R$ 240 mil

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Crédito à vista: inadimplência nos condomínios pode diminuir em 2024

2 minutos de leitura
Imagem destacada

São Paulo: 5.825 unidades residenciais novas foram vendidas em julho, segundo Secovi-SP

1 minuto de leitura
Imagem destacada

67% dos imóveis novos em São Paulo têm menos de 45 m²

4 minutos de leitura