Há apenas alguns anos, criar uma casa inteligente com controles coordenados de iluminação, cortinas motorizadas, áudio multiquartos e ar-condicionado exigia um grande sistema de automatização do lar e uma reforma. “Quando a gente falava disso, era algo muito caro,” diz Mark Spates, gerente sênior de produtos da Nest e Google Home em Mountain View, na Califórnia. “Era um luxo.”

Hoje, muitas dessas funções estão disponíveis em produtos acessíveis e por preços populares. Dá para escolher e ajustar as funções que você quiser, além de instalar sozinho a maioria dos produtos, sem ter de furar uma única parede. “Uma das vantagens desses sistemas é que eles são leves, do ponto de vista da infraestrutura”, diz Michael K. Chen, arquiteto de Nova York que tem projetado imóveis de grandes orçamentos com sistemas de automação que exigem salas dedicadas de controle de ar-condicionado, além de casas mais simples com produtos de tecnologia de menor escala como Nest, Sonos e Lutron.

“Basicamente, você não precisa fazer uma reforma completa,” diz Silvia Kuhle, parceira da Standard Architecture em Los Angeles. Mesmo assim, existem tantos produtos com tecnologia para o lar — e que fazem tantas tarefas diferentes — que pode ser difícil saber no que mexer primeiro. Por isso, ouvimos de arquitetos e especialistas em tecnologia conselhos sobre como você pode começar.

Cheque seu wifi

A maioria dos produtos para casas inteligentes usa cabos, mas depende do wifi para se comunicar com a internet e os smartphones. Uma rede
wifi doméstica é essencial e o alcance da rede faz diferença. Em um espaço pequeno, como um apartamento de um quarto, provavelmente um roteador dewifi já é o suficiente. Nas casas maiores, porém, pode não ser o bastante.

“Você precisa ter wifi na casa toda,” diz Elizabeth Mathes, diretora de casas inteligentes da Home Depot de Atlanta, na Geórgia. “Se a ideia é ter um portão de garagem inteligente que abre sozinho, você precisa de
wifi em todos os cantos da casa. A mesma coisa no caso de uma campainha ou fechadura inteligente.”

O jeito de criar uma rede doméstica robusta, segundo ela, é instalar um sistema dewifi interligado, como Google Wi-Fi (a partir de US$129), Linksys Velop (a partir de US$126) ou Eero (a partir de US$199), que usa vários dispositivos para criar uma rede só em uma área grande, prevenindo que haja zonas sem sinal.

Escolha algo para começar

Não há motivo para transformar sua casa em uma Ilha da Fantasia digital da noite para o dia. “O melhor é começar com uma peça,” diz Spates. “Eu comecei minha jornada com um simples plugue inteligente.” Isso permitia o uso de um aplicativo para ligar e desligar a lâmpada. “O que você vai fazer é dar um passo bastante lógico que vai resolver um problema”, diz ele, “ou dar valor à sua casa imediatamente.”

Escolha o que parecer mais útil para seu estilo de vida — um interruptor, termostato, caixa de som, câmera de segurança ou outra coisa inteligente — e inclua outras coisas depois, se achar que o primeiro dispositivo ajudou. No caso dos clientes da Home Depot, segundo Mathes, “depois que eles compram uma coisa, notamos que geralmente eles voltam alguns meses depois para comprar seis ou sete outros produtos que complementam o primeiro.”

Escolha lâmpadas ou interruptores inteligentes

“O que mais me perguntam é sobre iluminação inteligente e sobre poder controlar as luzes da sua casa de qualquer lugar do mundo”, diz Soren Nyberg, consultor de interiores da Best Buy, em Minneapolis. “Mesmo que você não esteja em casa, é um ótimo jeito de ter certeza de que apagou a luz,” afirma. “Ou de ligá-las se estiver de férias”, por segurança.

Há basicamente duas maneiras de criar essa funcionalidade: com lâmpadas ou controles de luminosidade inteligentes. Lâmpadas inteligentes como a Philips Hue (a partir de US$ 70 o kit inicial) ou a LIFX (a partir de US$ 20 a lâmpada) são as mais fáceis de instalar — basta rosqueá-las no bocal — e oferece opções de mudança de cor e intensidade. Entretanto, talvez os produtos não sejam tão esteticamente agradáveis como as lâmpadas comuns, além de poderem não servir em qualquer tipo de instalação.

Controles de luz inteligentes, como o Lutron Caséta (kit inicial a partir de US$100) e o Leviton Decora Smart (a partir de $45 cada peça), substituem os atuais interruptores e controles manuais de luminosidade para controlar equipamentos com lâmpadas convencionais, embora instalá-los exija um conhecimento básico do trabalho de eletricista. Além de permitir controlar suas luzes de qualquer lugar, uma vantagem dos dois tipos de sistema é poder configurar áreas com várias instalações iluminadas em diferentes níveis e para agendar automaticamente quando as luzes acendem e apagam.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.
Matthew Bremer, diretor da Architecture in Formation em Nova York, já projetou casas amplas com sistemas complexos de automação doméstica para alguns clientes, mas em geral prefere os controles da Lutron Caséta para projetos menores, incluindo o apartamento dele no Bronx. “Eu posso tocar no botão principal quando chego e ter certeza de que está tudo ajustado para cada luz do apartamento ficar no nível que eu gosto à noite – tudo iluminado para fazer o martini perfeito”, diz. “O outro botão é o do caseiro: deixa tudo super claro.”

Além desses, ele também tem um ajuste que desliga todas as luzes do apartamento. “Do ponto de vista de conservação de energia, é uma coisa esplêndida”, afirma ele. É relativamente fácil controlar a luz do sol da mesma maneira. Persianas movidas a bateria, como a Serena (da Lutron) e a Hunter Douglas Powerview são instaláveis nas aberturas já existentes das janelas e sobem ou descem controladas por um app – sem cabos.

Coloque audio multiquartos

Sistemas de som multiquartos, que no passado precisavam de equipamentos caros e desajeitados, hoje são fáceis de posicionar. Uma líder antiga do segmento é a Sonos, que faz caixas de som (a partir de US$ 149 cada) que podem ser plugadas em qualquer tomada. Elas usam wifi para tocar a mesma música simultaneamente em todos os quartos, ou músicas diferentes em quartos diferentes, com volumes de controle independente para cada um, controlados por um app. A empresa também fabrica caixas de som de home theaters, além de amplificadores para falantes embutidos e exteriores.

“Nós usamos bastante Sonos, mesmo nos projetos super caros”, afirma Chen. “Onde você tiver energia, dá para ter música, o que é ótimo. Agora, não é mais preciso ter mais equipamentos complicados dividindo seu apartamento em áreas diferentes. Ele é feito para cuidar disso bem. A Apple oferece funções semelhantes com sua tecnologia AirPlay, em suas caixas de som HomePod (US$349) e em algumas de outros fabricantes. O Google faz a mesma coisa com as caixas do Google Home (a partir de US$49) e de outros fabricantes que funcionem com o Chromecast. As caixas da Amazon Echo (a partir de US$50) também podem tocar áudio multiquartos.

Escolha produtos pela eficiência e tranquilidade

Quer economizar dinheiro e energia? A maior parte dos termostatos padrão pode facilmente ser substituída pelas versões wifi de empresas como a Nest (a partir de US$ 169) e Ecobee (a partir de US$ 169), com pouco trabalho para a instalação. É possível controlar esses termostatos a partir de apps, em casa ou à distância, e eles também podem automaticamente desligar quando você sai e ligar quando você chega. Eles também avisam se algo estiver errado, como por exemplo, caso o forno pare de funcionar.

Com medo de vazamentos? Flo by Moen (US$499) se liga ao principal cano de fornecimento de água da casa (requer a ajuda de um encanador) para monitorar o uso da água, verificar se há vazamentos e mandar relatórios para seu smartphone. Em caso de problemas graves, como um cano estourado, ele fecha o abastecimento de água automaticamente.

Quer aumentar a segurança em casa? Há várias opções com wifi que incluem campainhas com vídeo, câmeras internas ou externas e sensores de segurança que alertam para atividades incomuns e facilitam monitorar as coisas quando você estiver fora de casa. “Nest e Ring são as duas maiores empresas que oferecem em um ecossistema só segurança e monitoramento da casa toda”, diz Nyberg, da Best Buy. “Como a Ring é da Amazon e a Nest, do Google, é garantido que elas não vão ficar desatualizadas com o tempo.”

Decida como controlar sua casa inteligente

É perfeitamente aceitável usar vários apps diferentes para controlar de modo individual seus dispositivos de smart home. Porém, se você tiver muitos dispositivos realizando várias funções, fazer todos eles funcionarem juntos pode ser mais conveniente. Felizmente, fabricantes e empresas de tecnologia vêm facilitando a comunicação desses dispositivos uns com os outros e a operação de modo coordenado.

O app da Lutron, por exemplo, funciona com os dispositivos da Sonos e Nest, de modo que você pode definir que uma área se ilumine e a música comece a tocar com um toque só. Além disso, você também pode automatizar ações, como acionar os controles de luz da Lutron sempre que a câmera da Nest detectar uma presença.

Amazon, Apple e Google também estão disputando para ser o controle principal da sua casa inteligente, com apps e assistentes virtuais – Alexa, Siri e Google Assistente – capazes de controlar vários dispositivos. O número de dispositivos compatíveis com esses apps vem crescendo depressa, mas ainda há algumas omissões gritantes – o app Home da Apple, por exemplo, não funciona com produtos Nest e Ring -, ou seja, é importante prestar atenção à compatibilidade.

Use um assistente virtual. Ou não

Tanto Alexa, Siri e Google Assistente podem facilitar o controle de uma casa inteligente por comandos de voz, mas a ideia de ter em casa sensores
inteligentes falantes com microfones escutando o tempo todo, à espera da próxima ordem, incomoda algumas pessoas. De fato, houve erros. No ano passado, por exemplo, a Alexa gravou sem permissão a conversa de um casal em sua casa em Portland, no Oregon, e compartilhou-a com outra pessoa indevidamente.

Usar um assistente virtual é opcional e a escolha se resume às suas opiniões sobre conveniência, privacidade e confiança. Por ora, há algumas maneiras pelas quais a maioria das pessoas controla suas casas inteligentes. Quando David Renken, arquiteto no escritório da Skidmore, Owings & Merrill em Los Angeles, renovou seu bangalô da década de 20 em Long Beach, na Califórnia, que ele divide com o marido, instalou controles de luz da Lutron Caséta, caixas de som da Sonos e câmeras de segurança e cadeados inteligentes da AT&T Digital Life.

“Como tudo isso está interligado, quando nós paramos o carro na calçada, a casa sabe que estamos chegando e já liga as luzes e abre as portas”, diz ele. Depois de entrar, eles normalmente usam a Alexa para controlar as luzes e o áudio com comandos de voz. “Nós começamos com um sistema pequeno”, diz Renken. Mas ele vem crescendo, para incluir praticamente todas as instalações de luz do casal, interiores e exteriores: “Depois que você se acostuma, ter de desligar a luz vira uma coisa chata.” TRADUÇÃO DE FABRÍCIO CALADO